Como a Gocase transforma ideias em produtos que expressam seus clientes

549
[tempo para leitura: 2 minutos]

A explosão do mercado de celulares, especialmente após os smartphones, criou uma nova cadeia de serviços: assistência técnica, venda de acessórios e seguros são alguns desses exemplos. Criada em 2015, a Gocase surgiu para atender essa demanda, em Fortaleza (CE). Rapidamente a empresa percebeu que havia mais a se explorar.

Quatro anos depois, a empresa é uma das maiores marcas digitais brasileiras – com 2 milhões de seguidores em seus perfis do Instagram. Guilherme Nóbrega, diretor da Gocase, será um dos palestrantes do 10º Fórum Internacional de Gestão de Redes de Franquias e Negócios, promovido pelo Grupo BITTENCOURT. No dia 2 de outubro, ele falará no painel “A transformação do modelo de negócios – Diversificação e Reinvenção dos Modelos Tradicionais”.

“A Gocase nasceu com um objetivo de ser muito mais do que uma marca de assessórios. Ela nasceu no mundo virtual e desde nosso primeiro contato, a empresa tem dedicado esforços em estruturar a sua atuação no varejo físico. O caminho do O2O (online to offline) passou por alguns testes de formato e a marca tem ganhado cada vez mais a cultura do varejo físico, porém sem deixar de lado a experiência e conveniência do varejo online”, ressalta Lyana Bittencourt, sócia-diretora do Grupo BITTENCOURT.

Hoje, além da capital cearense, possui um escritório em Amsterdã. Já comercializou produtos para mais de 130 países, chegando a celebridades como Halle Berry, Isis Valverde, Megan Fox e Reese Witherspoon. Os cases para celulares, com uma infinidade de variações, ganharam a companhia de acessórios tech, como cabos, carregadores de parede e película anti-impacto.

Não apenas isso. A Gocase abriu o leque e passou a produzir mochilas, capas para notebook, grip, microbag, necessaires, carteiras, lancheira térmica, pochetes, estojos e até malas para viagem. Além do seu canal próprio no e-commerce, os produtos são vendidos em portais de grande alcance, como Mercado Livre e Lojas Americanas.

A marca transformou-se em uma startup que busca mudar a maneira como os gadgets são vistos e percebidos. Dessa forma, passou a refletir ideias em objetos únicos e customizados para que os clientes expressem seu estilo de vida.

O sucesso não deve parar por aí. Em 2019, a Gocase foi selecionada pelo Laboratório Global de Empreendedorismo (G-Lab), programa da Escola de Administração do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT Sloan). A iniciativa está desenvolvendo um plano de entrada e expansão nos Estados Unidos. A ideia é que a personalização dos produtos, um dos diferenciais da empresa, ganhe em agilidade e conhecimento sobre a cultura e a agenda local.

O 10º Fórum Internacional de Gestão de Redes de Franquias e Negócios acontece nos dias 1 e 2 de outubro, no Teatro Santander, em São Paulo. Em nove edições, já recebeu mais de 9 mil executivos, dentre CEO’s, diretores e gerentes, de 2 mil empresas, incluindo as maiores redes de franquias e negócios do país.  Os debates contarão com a participação de lideranças de destaque como Frederico Trajano, CEO do Magazine Luiza; Augusto Lins, presidente da Stone; Chieko Aoki, presidente da rede Blue Tree Hotels; Caito Maia, fundador e presidente da Chilli Beans, entre outros.

Deixe uma resposta