Celulares mais simples têm alta nas vendas

397
[tempo para leitura: 2 minutos]

Nos meses de abril, maio e junho de 2019, as vendas de celulares registraram um movimento diferente. Nos três meses analisados, foram vendidos 852 mil unidades de feature phones, os celulares mais simples do mercado. Isso representa uma alta de 34% em relação ao mesmo período de 2018.

Este tipo de movimentação não acontecia desde 2016, quando a crise econômica fez o brasileiro preferir modelos mais baratos, provocando um salto de 48% na venda destes aparelhos.

O mercado de smartphones também registrou uma surpreendente alta de 6,2%, com 12,1 milhões de unidades vendidas, superando as previsões que indicavam queda de 6%.  Os dados fazem parte do estudo IDC Brazil Mobile Phone Tracker, realizado pela IDC Brasil.

Renato Meireles, analista de Mobile Phones & Devices da IDC Brasil, acredita que os resultados foram causados pelo lançamento de um novo sistema operacional para a categoria, o KaiOS.

Ele tornou os feature phones mais inteligentes e passou a atender o consumidor que prefere modelos mais simples e fáceis de usar, mas que também quer usar os aplicativos que já fazem parte da rotina do brasileiro.

Com as inovações, o preço do celular aumentou 4% e passou a custar, em média, R$ 132. A receita também cresceu e, no segundo trimestre de 2019, foi de R$ 112, 7 milhões, 39,3% a mais do que no mesmo período do ano passado.

As opções de smartphones também foram renovadas e entraram produtos de outros fabricantes no mercado brasileiro. Para Meireles, “o consumidor encontrou aparelhos com recursos novos, especificações bem diferenciadas e atributos muito esperados nos últimos meses”. O preço médio ficou em torno de R$ 1.252, o que resultou em um faturamento de R$ 15,1 bilhão, 15,6% a mais do que o segundo trimestre de 2018.

Para o terceiro trimestre deste ano, a previsão da IDC Brasil para o mercado de feature phones é de alta de 31,4%. Os smartphones deverão sofrer queda de 1% em suas vendas, devido ao alto estoque nos canais.  Meireles afirmou que as fabricantes deverão ofertar smartphones com preços mais baixos, já que no segundo trimestre o preço médio subiu 8,9%  e o varejo deve fazer promoções para estimular o consumo e baixar os estoques.

As projeções da empresa para o ano passaram de um crescimento de apenas 0,4% para 26,1% nas vendas de feature phones. No total, 3,2 milhões de celulares deverão ser vendidos. Já o mercado de smartphones deve fechar o ano com vendas de 45 milhões de aparelhos, queda de 1,3%, pouco melhor do que o saldo negativo de 2,4% inicialmente projetado.

* Imagem reprodução

Deixe uma resposta