Cinemark pretende vender 2 milhões de unidades de pipoca em 2020, em 22 redes varejistas

268
[tempo para leitura: 2 minutos]

A indústria ir ao varejo não é uma novidade, mas o movimento acontece de maneira cada vez mais forte para atender o consumidor, que cobra experiências. O 10º Fórum Internacional de Gestão de Franquias e Redes e Negócios encerrou seu primeiro dia discutindo a temática. Para isso, Marcelo Bertini, CEO da Cinemark, contou as estratégias da rede para se aproximar do consumidor. “Estamos obstinados a entender o comportamento dos nossos clientes”, destacou.

“Está claro que precisamos desenvolver formas de se relacionar cada vez mais com o consumidor, que busca, dentre outras coisas hiper conveniência e relacionamento”, ressaltou Lyana Bittencourt, diretora executiva do Grupo BITTENCOURT, na abertura do painel. Ela destacou experiências diferenciadas proporcionadas por marcas como o café Image Banck, do La Caixa, a farmácia Boots do Convent Garden, em Londres, além de iniciativas brasileiras como Heliar Service e Giuliana Flores.

A Cinemark divide as estratégias de aproximação com o consumidor nas frentes online e off-line. As metas da marca para 2020 são ousadas. A rede pretende vender 2 milhões de unidades da sua pipoca, em 22 grandes redes do varejo, com 1.500 pontos de venda. Além disso, vai dobrar a atual quantidade de produtos de cinco para 10.

“Estamos nos preparando cada vez mais para dar um salto quântico. Assumimos um novo propósito de estar onde o cliente estiver em qualquer momento da experiência dele por meio de uma marca consolidada e um produto, que é a pipoca. Buscamos quebrar esse mito de que a pipoca só se consome no cinema. É um produto excelente que pode ser consumido quando se tiver vontade”, explicou.

Além da pipoca, a Cinemark se relaciona no off-line com o público em eventos. A estratégia mais bem sucedida acontece no CCXP, maior evento de cultura pop do mundo. Na última edição, a marca montou um auditório gigante com exibição para 3.500 pessoas, um telão para exibição na fila do evento, que tem média de 2.000 pessoas, e 51 pontos de venda. A marca realiza ainda ações em outros grandes eventos como o Rio Open e o Rock Rio.

Já no digital, a Cinemark vem investindo em frentes como aplicativo, e-commerce próprio e CRM.  “Assumimos o risco de oferecer e-commerce próprio. Em seis meses, temos o 33º maior e-commerce do Brasil. Somente em julho, vendemos 550 mil ingressos por meio dele”, comemorou.

A rede lança novas funcionalidades de seu aplicativo a cada 15 dias para atender melhor os clientes. Além disso, o entendimento do comportamento do consumidor vem ajudando a rede a convencer algumas distribuidoras a assumir a verba digital para divulgação de filmes.  Bertini citou como exemplo o filme Yesterday, lançado no último mês de agosto. Por meio da análise de dados sobre clientes que assistiram produções como Nasce uma estrela, Rocketman e Bohemian Rhapsody, a Cinemark pode direcionar a divulgação e obter bons resultados.

Foto: StudioLopes

Deixe uma resposta