Varejo deve crescer no último trimestre de 2019

841
[tempo para leitura: 2 minutos]

As expectativas para o varejo no final de 2019 são positivas. O consumidor está voltando a comprar, o mercado de crédito está se aquecendo e o número de vagas do mercado de trabalham está retomando o crescimento. Assim, as previsões para o quarto trimestre do ano são positivas.

O fluxo de pessoas em shopping centers no Brasil cresceu. Segundo o índice Iflux, a quantidade de visitantes nos shoppings cresceu 5,3% em outubro na comparação com o mesmo período do ano passado. Além disso, na comparação com setembro deste ano também houve crescimento, de 1,5%.

A confiança dos consumidores, medida pela Fundação Getúlio Vargas – FGV, caiu 0,3 pontos percentuais em outubro, em comparação a setembro em termos dessazonalizados, após a alta nos últimos dois meses.

Por outro lado, considerando os resultados do segundo semestre até outubro, há sinais de moderado aumento do nível de confiança dos consumidores, o que também alimenta a expectativa de melhora da economia na segunda metade do ano.

Comparativamente, de janeiro a junho, o índice de confiança recuou, em média, 0,75 p.p. ao mês, enquanto de julho a outubro o índice registrou alta média de 0,23 p.p. ao mês, considerando a série dessazonalizada.

Além da confiança, outro fator que contribui para o panorama positivo ao consumo é a renda disponível, a parcela do orçamento que sobra após gastos com itens de primeira necessidade . Em outubro, a parcela de renda disponível às famílias ficou em 42,9%, o maior patamar dos últimos cinco meses, e continua a acompanhar o quadro inflacionário benigno.

Um dos principais fatores é o preço dos alimentos, que não vêm crescendo. Nos últimos 12 meses, a inflação de “alimentação no domicílio” acumula variação de 2,8% ante a variação de 3,3% acumulada até outubro do ano passado, o que contribui para o resultado menos pressionado sobre o orçamento das famílias.

Tendo em vista o aumento do Iflux em outubro e os resultados positivos dos índices de confiança e renda disponível, espera-se um crescimento do volume de vendas do comércio varejista no mês.

A projeção preliminar da Tendências para as vendas do varejo restrito (PMC) é de 3,2% na métrica interanual, após crescimento de 2,1% em setembro.

*Imagem reprodução

Deixe uma resposta