Google terá sua própria conta corrente digital

1207
[tempo para leitura: 2 minutos]

O Google está se preparando para entrar de vez no ramo das finanças com a oferta de conta corrente. Segundo uma reportagem do The Wall Street Journal, a empresa irá oferecer a solução em parceria com entidades bancárias tradicionais, começando pelo conglomerado financeiro Citigroup. O objetivo seria atrair principalmente jovens e demais usuários acostumados a lidar com serviços digitais.

Caesar Sengupta, executivo da empresa, confirmou os planos ao jornal e disse que “a abordagem será selar uma parceria profunda com os bancos e o sistema financeiro”. Ainda não se sabe como a conta bancária será chamada – internamente, o projeto tem o nome de “Cache”. O lançamento é aguardado para 2020 nos Estados Unidos.

Ainda de acordo com a publicação, usuários terão acesso à conta pelo aplicativo do Google Pay, onde poderão fazer transações e, eventualmente, obter crédito junto às entidades parceiras. O Google também menciona a possível oferta de programas de fidelidade. A empresa ainda avalia se irá cobrar taxas de manutenção ou se seguirá a tendência da conta digital gratuita oferecida por fintechs.

A entrada do Google no mercado de serviços financeiros, diz o The Wall Street Journal, está ligada ao desejo de ter acesso a uma quantidade ainda maior de dados de usuários. O funcionário da empresa ouvido pelo jornal, entretanto, nega que a companhia comercialize informações de consumidores aos seus clientes que pagam por anúncios.

O ramo de serviços bancários tem sido visto como estratégico pelas principais empresas de tecnologia do mundo. Recentemente, a Apple lançou o Apple Card, um cartão de crédito para usuários de iPhone, e a Uber anunciou a expansão de seus produtos financeiros, com um cartão de crédito, um de débito e uma conta corrente. A Amazon também teria planos similares.

Já o Facebook atua em duas frentes distintas. De um lado, trabalha para viabilizar o projeto Libra, que envolve a criação de uma criptomoeda e tem perdido apoio de parceiros importantes. De outro, a rede social tenta atrair o público em geral para o Facebook Pay, sua primeira plataforma de pagamentos nos moldes de Apple Pay e Google Pay.

Com informações do The Wall Street Journal
* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui