Inovar é simplificar

1794
[tempo para leitura: 3 minutos]

Vejo muitas discussões em busca de alguma ideia que seja a “sacada das sacadas” e com isso deixamos passar despercebidas coisas simples que podem ser esse elemento transformador que tanto buscamos.

A genialidade está em fazer o óbvio e não o extraordinário. E conhecer o cliente é fundamental no processo de mudança.

O tempo que passamos assistindo televisão, conversando no whatsapp e consumindo informações em sites e redes sociais impactam a nossa jornada de compra. Nas redes sociais, os consumidores se tornaram cocriadores de conteúdo e tudo isso com um poder de alcance e engajamento altíssimos. Cada vez mais tenho a certeza de que inovação é aquilo que o cliente adota como solução para o seu problema e não o que rotulamos como inovador.

Poder trocar um produto adquirido pelo e-commerce na loja física, comprar na loja e receber em casa ou comprar pelo celular e passar em uma loja para retirar é o que o consumidor deseja para facilitar a sua rotina. E o que para ele é básico, para a loja pode ser aquele projeto de inovação que está na gaveta.

A multicanalidade faz parte do estilo de consumo da nova geração de consumidores – 33% dos consumidores comparam preços no celular enquanto está fazendo compras e 70% consultam informações sobre produtos e preços no aplicativo ou internet antes de ir à loja.

Na prática, os consumidores estão mais conectados e exigentes e buscam uma marca que ofereça bom preço, conveniência, produtos mais saudáveis, experiências e serviços no ponto de venda.

Saber em que área ou sistema investir primeiro e quanto tempo cada etapa levará até a implantação não são questões simples de serem respondidas, mas o segredo está no simples! E fazer o básico bem feito pode ser a inovação que tanto buscamos para oferecer atendimento e produtos melhores, e conseguir reduzir custos e otimizar processos.

Hoje quero falar de três iniciativas que auxiliam nessa transformação: eficiência operacional nos processos logísticos, uso de dados para aprimorar a experiência do cliente e sistemas inovadores de pagamento.

Eficiência operacional nos processos logísticos: o Brasil possui um território muito extenso e isso torna a roteirização das entregas mais complexas. A transformação dos estoques das lojas físicas em minicentros de distribuição resolve essa complexidade logística. Neste caso o mesmo caminhão que faz o abastecimento semanal pode também transportar os produtos que estão com opção de retirada na loja.

A retirada de produtos nas lojas já é uma realidade e tem aumentado muito, segundo relatório Google Survey 19% dos consumidores online preferem retirar os produtos nas lojas, isso é bom para o consumidor que tem um frete mais barato e recebe o produto mais rápido e é bom para a loja que diminui o custo logístico.

Uso de dados para aprimorar a experiência de compra: uma em cada três vendas do varejo é influenciada pelo digital, e de forma orgânica as plataformas online coletam dados que permitem conhecer melhor o perfil do consumidor e sua jornada. O desafio está em fazer isso na loja física, e aí é que a integração de canais entra. A presença multicanal pode impulsionar e muito as vendas, ter um CRM integrado (online e offline), oferecer wi-fi no ponto de venda (isso é essencial porque o consumidor que esta na loja física pesquisa informações sobre o produto na internet) e o uso da geolocalização são algumas ações que auxiliam no mapeamento da jornada do consumidor na loja física.

Sistemas inovadores de pagamento: a tendência é que o consumidor seja livre para escolher a forma que melhor lhe convier, assim como escolhe entre a loja física e online. Temos muitas opções como, Google Pay, Apple Pay, QR Code e Biometria Facial. O diferencial desses meios de pagamento são confiabilidade neste processo e a rapidez, ou seja, atrito zero. Diferente do método mais tradicional onde é preciso colocar o cartão na maquininha, lembrar e digitar a senha. Ou pegar o dinheiro e esperar o troco.

Inovação não pressupõe complicar, muito pelo contrário, inovar é simplificar. Inovação é converter novidade em valor e a tecnologia é só o meio de viabilizar tudo isso.

Na prática, todas essas iniciativas trazem mais mobilidade para dentro da loja, empoderando o vendedor, conferindo mais agilidade no processo de vendas, diminuindo filas e otimizando a produtividade.

Ficou com dúvidas e não sabe por onde começar? Nós da GS&Consult podemos te auxiliar no processo de transformação do seu negócio. Fale com a gente!

* Imagem reprodução

Deixe uma resposta