Setor supermercadista tem maior geração de empregos em 10 anos

991
[tempo para leitura: 2 minutos]

A geração de empregos do varejo vem crescendo. De acordo com dados da Associação Paulista de Supermercados (APAS) junto do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), em outubro o setor gerou 36,7 mil empregos, estando na primeira posição entre os 25 subsetores da economia brasileira. O segmento representou, no período, 21% da geração de emprego líquida nacional com 70,8 mil vagas.

Mas o grande destaque do período foi o varejo alimentar, que gerou 3.543 empregos em São Paulo, maior valor para outubro nos últimos dez anos. Supermercados e hipermercados foram os maiores geradores de empregos, totalizando 2.223 vagas. Os hortifrútis deram origem a 153 empregos, valor 77% maior do que 2018.

O dados positivos também se refletem entre atacados e atacarejos, que fizeram 943 contratações, o melhor número em 9 anos. Minimercados abriram 224 novos postos, o melhor resultado em 4 anos.

“Tradicionalmente o varejo alimentar tem seu pico de contratação em outubro e novembro. Atualmente, a economia encontra-se aquecida mostrando uma recuperação puxada pelo recorde empregos formais, liberação do FGTS, maior confiança, maior crédito, menores juros, além de Black Friday”, disse Thiago Berka, economista da APAS.

Na análise por cargos, repositores tiveram a maior geração líquida, com 1.712 novos empregados, seguidos de operadores de caixa e embaladores. Para o fim de ano, o maior fluxo de clientes e o alto giro de produtos nas prateleiras que Black Friday e Natal proporcionam forçam também a abertura de novos caixas para atendimento.

Na visão regionalizada, a capital voltou a ser líder na criação de empregos, com 612 novos postos, seguida por Indaiatuba, Sorocaba e Guarulhos. No acumulado do ano, São Paulo e Campinas são as maiores criadoras de empregos de 2019. Atualmente, o setor supermercadista conta 539,3 mil pessoas empregadas em todo Estado.

A expectativa quanto aos temporários é de cerca de 8 mil vagas. O número é 25% maior que o ano passado. Estima-se que os supermercados devem reter cerca de 5% do total destas vagas para 2020. A expectativa é que este ano seja encerrado com 13,6 mil vagas ocupadas, o melhor número desde 2014, quando foram contratadas 14,7 mil pessoas.

“Para se ter uma ideia, a expectativa de aumento das vendas para o Natal é de 6% a mais que no ano passado. As vendas no mês de dezembro são 24% maiores quando comparado aos outros meses do ano”, avaliou Berka.

* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui