Amazon passa a entregar metade de seus pedidos

983
[tempo para leitura: 2 minutos]

A capacidade de entrega da gigante Amazon nos Estados Unidos mais que dobrou em 2018. A empresa que realizava a entrega de apenas 20% de seus pedidos passou a entregar cerca de 50% deles, apesar do aumento nas vendas e da introdução da modalidade Prime de envio em apenas um dia.

Os analistas do Morgan Stanley estão prevendo um crescimento anual composto de 68% nas entregas da Amazon entre 2018 e 2022, passando dos atuais 2,5 bilhões de pacotes entregues este ano para 6,5 ​​bilhões em 2022. Ao comparar estes dados com as atuais líderes de mercado UPS e FedEx, que devem passar de 4,7 bilhões para 5 bilhões e de 3 bilhões para 3,4 bilhões, respectivamente, e tudo parece ainda melhor para a varejista.

A capacidade da Amazon parece ainda maior, já que sua frota possui cerca de um quinto do tamanho da concorrência. Até agora, sua eficiência é resultado do foco em regiões densamente povoadas, que exigem uma circulação menor dos veículos para realizar as entregas.

61% dos envios da empresa foram realizados para áreas suburbanas, 28% para áreas urbanas e apenas 11% dos pacotes foram entregues em áreas rurais. A UPS e a FedEx enviam cerca de 20% de seus pacotes para áreas rurais.

No futuro, no entanto, a Amazon planeja integrar novas tecnologias e sistemas para entregar pacotes ainda mais rapidamente. A Amazon Air, sua frota de aeronaves de carga, operará pelo menos 70 aviões até 2021. Enquanto isso, um exército de drones começou a funcionar em dezembro de 2016 e vem se expandindo lentamente em torno de uma série de patentes cada vez mais estranhas. O Amazon Flex, comparado a um Uber para entregas, por outro lado, teve menos sucesso.

O rápido crescimento das entregas da Amazon apresentou custos elevados. Em outubro, a empresa disse que, no período de três meses, compreendendo de junho a setembro, com a introdução das entregas Prime, gastou US$ 9,6 bilhões em atendimento de pedidos, valor 50% superior ao que foi gasto nos três meses anteriores. Isso inclui suas próprias entregas e aquelas para as quais contrataram a UPS e a FedEx.

No entanto, a empresa está confiante que seu investimento valeu a pena. “Os clientes adoraram a transição do Prime de dois dias para um dia. Eles já encomendaram bilhões de itens com entrega gratuita em um dia este ano. É um grande investimento e é a decisão certa em longo prazo para os clientes”, afirmou Jeff Bezos, CEO da Amazon.

Com informações do site Tech Spot
* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui