Business transformation: o que as empresas podem aprender com as mudanças

758
[tempo para leitura: < 1 minuto]

“Que transformação faz você se sentir confortável em estar desconfortável?” questionou Felipe Barros, vice-presidente Global de Marketing, Dados e Produtos Digitais da Anheuser-Busch Inbev. Ele afirmou, durante edição do Retail Executive Summit, que as novidades em empresas, as soluções em startups, os investimentos dos concorrentes são muito maiores hoje do que cinco anos atrás, por exemplo. As empresas mudaram a nossa relação com o mundo, como pessoas e isso afeta em como as empresas se comportam, pois elas são os sistemas operacionais de nossas vidas.

Quando queremos saber alguma coisa, no caminho para algum lugar, no trânsito ou para buscar informações para um simples trabalho de colégio do seu filho, o Google é a plataforma para isso (e, pelo Gmail, Drive e Youtube ainda mais). As redes sociais, por sua vez, Facebook, Instagram, WhatsApp, nos conectam aos nossos colegas de trabalho. A Apple, com experiências e design. A Amazon, ainda mais nos EUA, entrega produtos em até duas horas em sua casa e, assim, conseguem dados sobre o comportamento dos usuários, a empresa só cresce.

A disrupção é, hoje, cada vez mais comum em empresas em todos os continentes. A curva de inovação, com o amadurecimento do mercado e a substituição de produtos, era completamente menor. A velocidade com que os aplicativos são baixados aumenta, diariamente, e muito disso tem relação com a agilidade de transformação do mundo.

* Imagem divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui