Visão, Confiança e Esperança inspiram

3151
futuro-dos-negocios
[tempo para leitura: 3 minutos]

Confiança, visão e esperança podem superar dificuldades e compensar os inúmeros problemas que o quadro quase caótico precipitado pela combinação da pandemia com a crise econômico-financeira têm gerado no mundo todo e, em particular, no Brasil, neste momento.

Talvez seja essa a explicação pela qual a LIVE que foi apresentada nesta última quarta-feira, como parte da série Mercado & Consumo em Alerta, com o ministro da Economia Paulo Guedes e o empresário Abilio Diniz, tenha alcançado mais de 70 mil visualizações no YouTube, 72 horas após sua exibição.

Embasados em fatos, números e na experiência individual de cada um, as mensagens que foram passadas não reduziram em nada a dimensão, extensão e profundidade dos problemas que estão aí para serem equacionados. Mas trouxeram uma visão menos catastrofista da realidade e uma série de ações que podem e estão sendo implementadas em busca da solução possível, no âmbito público e no privado.

Não há nenhuma dúvida sobre o drama que o mundo e o Brasil têm vivido, em maior ou menor escala, mas, definitivamente não faltam notícias dramáticas, a realidade em profunda transformação, os problemas em constante evolução mas tem faltado, muito, palavras de confiança e estímulo para a superação dos mesmos.

Mesmo quem acerta nas ações e providências, nem sempre acerta na forma como comunica e cria confiança e esperança.

Não faltam os que relatam problemas, dificuldades e pensam e agem na busca da solução na contração. Faltam os que se engajam para criar as soluções possíveis através da ativação, da inovação e da solidariedade. Temas que foram discutidos durante a LIVE.

Talvez seja isto que tanto que tenha gerado tanto interesse.

Como quando Winston Churchill, em discurso na Câmara dos Comuns na Inglaterra em Maio de 1940, repetiu a célebre expressão “Não tenho nada a oferecer além de sangue, suor e lágrimas, ante os desafios de um período dramático pela perspectiva sombria de dias sofridos à frente.

E se é verdade que estamos vivendo algo equivalente em seu impacto a uma guerra mundial, é importante sempre lembrar que, em qualquer circunstância, as pessoas precisam conhecer a realidade, preparar-se para ela, mas vivem pela confiança,  esperança e a visão inspiradora.

Sacrifícios Desiguais

Um dos temas discutidos durante a LIVE foi a desproporcionalidade do sacrifício do setor privado em relação ao setor público na atual realidade.

Enquanto no setor privado demite, por absoluta necessidade, apesar dos incentivos para reter, é obrigado a reduzir salários em até 70% com proporcional redução de jornada, corta remuneração e retiradas de sócios e diretores, não distribui dividendos relativos aos anos anteriores, o setor público vive uma outra realidade.

Salários mantidos, empregos assegurados, aposentadorias, mesmo as mais nababescas, são pagas como se tudo estivesse absolutamente normal.

E não nos referimos, logicamente, aos profissionais públicos dos setores de saúde, limpeza e segurança, como exemplo dos imprescindíveis neste momento, mas aos milhões de funcionários burocráticos impedidos de trabalhar e aguardando em casa que o cenário melhore.

O número total de funcionários públicos ativos no Brasil é superior a 11 milhões, nas esferas federal, estaduais e municipais, com um valor de salários e benefícios que custa perto de R$ 800 bilhões por ano ao país. Isto sem falar nas aposentadorias.

Vale lembrar que a fundamental Reforma da Previdência, no setor público, não conseguiu avançar para Estados e Municípios, cabendo a cada um encontrar sua própria solução.

É evidente que não nos referimos aos funcionários com baixa remuneração, tão sacrificados quanto os da iniciativa privada, mas existe um relevante contingente de funcionários de alto escalão, com remuneração próxima ou mesmo superior ao teto legal, na ativa e aposentados que, enquanto o país se desestrutura e empobrece, e milhares são desempregados, mantém seus altos salários e benefícios absolutamente inalterados.

É profundamente desigual.

Acompanhe o calendário de lives do Mercado & Consumo em Alerta desta semana:

Quarta-feira, 6 de abril l a partir das 8h
Juliana Azevedo, presidente da Procter & Gamble Brasil
Noel Prioux, CEO do Carrefour
Liel Miranda, presidente da Mondelez

Sexta-feira, 8 de abril l a partir das 8h
– Edição temática: Soluções para o varejo
Carlos Busch, vice-presidente de Vendas, Alianças e Canais da Salesforce
Felipe Dellacqua, vice-presidente de Vendas e sócio da VTEX
Enio Garbin, diretor de Desenvolvimento de Negócios, Tecnologia e Inovação da IBM

* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui