Dia das mães: 32,2% pretendem comprar presentes em e-commerces

1572
Dia das mães ecommerce
[tempo para leitura: 2 minutos]

O Dia das Mães, segunda data comercial mais importante no Brasil após o Natal, terá um significado diferente em 2020, o que impacta diretamente no comportamento do consumidor.

Para demonstrar o carinho pelas matriarcas, as principais escolhas do público que pretende celebrar a data são: comprar um presente em um e-commerce (32,26%); cozinhar ou encomendar uma refeição especial (27,4%); e fazer uma ligação ou videochamada (24,7%). Mesmo em meio ao isolamento social, 15,2% disseram que pretendem tentar comprar um presente em uma loja física e 13,4% fazer uma visita pessoalmente.

Dos respondentes, 65,6% pretendem comemorar a data; porém destes, 40,8% admitem que caso alguém da família seja vítima do coronavírus, a comemoração será cancelada. Mas outros fatores também podem fazer com que muitos consumidores desistam de celebrar a data. É o caso dos prazos de entrega ruins e o fato de não poder receber ou fazer visitas, além de não ter acesso a bons preços. Já entre as pessoas que não pretendem comprar presentes, grande parte não possui um trabalho formal (34%), está desempregada (12%) ou é aposentada (11%).

Dentre os que não pretendem comemorar a data de maneira alguma (12%), 31,9% alegam que o fato se deve ao isolamento social e a impossibilidade de organizar encontros. Outras pontos relevantes, no entanto, também apareceram, como a necessidade de fazer uma economia, a falta de hábito e até mesmo a dificuldade por não morar com a mãe. Aqui, o isolamento social também mostra seu poder de influência sobre o evento, uma vez que boa parte deste público voltaria atrás e escolheria celebrar o Dia das Mães se pudesse receber ou fazer visitas (24,1%) ou caso a quarentena fosse flexibilizada ou cancelada (20%).

Questões logísticas influenciam diretamente na decisão de compra dos consumidores e, não à toa, para este Dia das Mães, os respondentes do Norte (18,18%) e Nordeste (15,12%) foram os que mais apontaram as “boas taxas de frete” como fator decisivo para conversão. Já as “políticas de troca e devolução” são mais relevantes para o público do Nordeste (9,30%).

A categoria que promete atrair mais público é Moda e Acessórios, sendo a opção de 43,1% dos respondentes que pretendem comprar. Em segundo lugar vem Beleza e Cosméticos (41,4%), Floricultura (21,2%), Casa e Decoração (20,4%) e Eletrodomésticos (19,4%). Por fim, em relação ao ticket médio, 34,5% dos consumidores pretendem investir entre R$51,00 e R$100, sendo esta ainda a faixa de preço mais representativa entre as mulheres. Em seguida, 22,7% do público ficará entre os R$101 e R$200 – investimento mais representativo entre os homens.

* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui