Mercado & Consumo em Alerta trouxe as boas práticas e soluções do e-commerce para o debate

1925
Magazine Luiza
[tempo para leitura: 2 minutos]

No varejo, as facilidades oferecidas pelo ambiente online vão muito além da simples venda por outro canal. E foi para falar sobre isso que o Mercado & Consumo em Alerta trouxe para o seu palco virtual de debates o e-commerce como protagonista na pauta.

Na manhã de hoje (16), sob a mediação de Beth Furtado e Caio Camargo, sócio-diretor da GS&UP, estiveram reunidos Luiz Henrique A. Escobar, head de E-commerce do Carrefour Brasil; Roberto Butragueño Revenga, diretor de Atendimento do Varejo e e-commerce da EBIT / Nielsen; Júlio Rodrigues, diretor Executivo de E-commerce da Magazine Luiza e Leonardo Cavalcanti, diretor de Tecnologia do Supermercado Nordestão.

Em todas as edições são extraídos insights sobre a discussão, que valem a pena ser estudados e aplicados em outras empresas.

Entre os pontos levantados estão:

1 – O momento fez com que muitas pessoas comprassem pela online pela primeira vez. E nos mercados onde a epidemia começou antes, os dados mostram que esse consumidor adere a esse novo canal como um hábito de compras. Além disso, o crescimento de vendas online nas categorias não tradicionais como hortifruti e congelados, passaram a ser categorias de destaque nas vendas online;

2 – O coronavírus adiantou o processo de evolução do varejo digital no Brasil o que resultou em um crescimento de clientes digitais 60+ bastante expressivo mostrando uma oportunidade ainda não aproveitada de sortimento e ferramentas para apoiar esse público. Além disso, não há lojas online especializadas nesse público;

3 – A experiência e suporte de atendimento que você entrega para o cliente que está comprando online pela primeira vez irá determinar a permanência dele nesse canal pós-Covid;

4 – É importante entender o e-commerce como um canal que carece de toda atenção que uma loja física. Antes de decidir vender online, é importante conhecer as vantagens e desvantagens do modelo “Loja própria” e do modelo “Marketplace”;

5 – Um dos desafios de ter uma estrutura de vendas online para empresas que já tem estruturas físicas é transmitir os pontos fortes da marca. É relevante entender que a embalagem e a experiência de encantamento da entrega são diferencias importantes para e-commerce;

6 – O varejo online serve de apoio fundamental às redes de lojas físicas. Como exemplo nessa páscoa, as entregas das compras feitas online foram feitas pelos franqueados das redes de chocolate.

* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui