E-commerce fatura R$ 60 bilhões impulsionado por autosserviço

1750
E-commerce
[tempo para leitura: 2 minutos]

O e-commerce brasileiro ultrapassou a marca de R$ 60 bilhões em faturamento e atingiu 148 milhões de pedidos em 2020, segundo dados da 41ª edição do Webshoppers, o mais amplo relatório sobre e-commerce do país elaborado semestralmente pela Ebit|Nielsen – em parceria com a Elo.

“O resultado do e-commerce têm números superlativos. Mostra que o ambiente online realmente virou a sala da casa dos brasileiros, ele se sente confortável ali”, afirmou a líder de Ebit|Nielsen, Julia de Ávila.

“Não por acaso, o resultado do faturamento nos quatro primeiros meses deste ano somou R$22,9 bilhões (De 1º de janeiro até 30 de abril de 2020), 32% do resultado de todo 2019”, afirmou a executiva, referindo-se ao desempenho em meio à pandemia da Covid-19.

No ano passado, o faturamento do e-commerce brasileiro cresceu 16,3%, para R$ 61,9 bilhões, impulsionado pelo aumento de 21% no número de pedidos, alcançando 148 milhões de compras online, frente a 123 milhões em 2018.

O aumento do número de pedidos foi acompanhado pelo maior número de novos consumidores: apenas no ano passado, 10,7 milhões de pessoas estrearam suas compras no ambiente online, alta de 9% sobre 2018.

“Com os brasileiros mais conectados em seus computadores, tablets ou celulares, a compra online tornou-se algo quase natural”, disse Ávila. “Um dos segmentos de canal que mais cresceu foi o de Autosserviço”, acrescentou a líder de Ebit.

O 41º Webshoppers identificou que o crescimento dos pedidos com frete grátis auxiliou na melhora de desempenho dos canais. As compras online, sem pagamento de frete, representaram 48% do total em 2019, com um aumento de 28% nos pedidos desse tipo. Já o frete pago teve expansão de 15%.

Gráfico E-commerce

Com informações do portal E-commerce Brasil.
* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui