“Na América Latina nós temos um Brexit por dia”, afirma diretor Regional da Subway

1789
Subway
Unidade da Subway em operação antes de pandemia causada pelo coronavírus
[tempo para leitura: 2 minutos]

A Subway, assim como diversas empresas, tem tratado a pandemia com seriedade e mesmo que as diretrizes da companhia para os franqueados já estejam de acordo com as melhores práticas da indústria, a marca intensificou as medidas preventivas de saúde e segurança em toda sua rede. Em sua participação no Mercado & Consumo em Alerta desta sexta-feira, João Augusto Fugiwara, diretor regional da Subway América Latina disse que a presença massiva em diferentes países ajudou a empresa a enxergar a crise com um pouco mais de antecedência.

Com 42 mil restaurantes espalhados em 100 países, 4.100 América Latina e 1.900 no Brasil, a Subway teve como prioridade inicial continuar operando com seus colaboradores em segurança. “Como as ações da Covid- 19 ainda têm poucas informações – e não lineares – a segurança do nosso time foi a principal preocupação”, explicou.

Sobre a continuidade da operação, o executivo contou que o delivery ganhou protagonismo na sustentação das vendas e a aceleração, assim como o impulsionamento desta frente foram mandatórios para a Subway. “Certamente, nem toda a demanda foi transferida para esse modelo”, disse Fugiwara.

Segundo ele, o delivery é uma vertical importante e essa tendência de consumo certamente vem para ficar e passa a ter uma importância ainda maior. Dispositivos que liberem pedidos para ‘take out’ e ‘to go’ serão cada vez mais presentes na vida dos consumidores. “Este cenário de guerra nos faz antecipar e estar abertos a diversos tipos de interação com o público”, completou.

Programa de doações dos produtos que estavam em estoque foi outra ação tomada pela rede de restaurantes. Pelo menos 106 franquias em todo o país doaram mais de 25 mil sanduíches. “A iniciativa de doação, além do bem social, também visa evitar o desperdício diante da redução do movimento nos restaurantes”, disse o executivo.

Durante sua participação o diretor da Subway comentou que “na América Latina nós temos um Brexit por dia” e que a capacidade de adaptação, flexibilidade e resiliência dos brasileiros são extremamente importantes para que o país consiga passar por essa crise. Ele disse que uma rede como a Subway, com diferentes níveis de formação, matando literalmente um leão por dia, é o que vai fazer com o que a empresa consiga enxergar uma luz no final do túnel, e que essa luz não é de um o trem vindo ao contrário.

Fugiwara contou ainda que uma série de projetos que estavam programados para o decorrer do ano foi acelerada para entrar no ar e tentar ajudar nas vendas.

* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui