“O nosso principal dever é não deixar a empresa quebrar”, alerta Márcio Utsch

1694
marcio utsch 1
[tempo para leitura: < 1 minuto]

“Estamos num momento de afogamento”. Foi com essa frase que Márcio Utsch, empreendedor e membro do Conselho da Hapvida iniciou sua participação em live promovida pela Mercado & Consumo, que desde abril, em parceria com a Gouvêa de Souza, vem promovendo uma série de webinars gratuitos.

No momento atual, com empresas fechadas e a maior parte das lojas físicas de portas baixas tendo que focar seus esforços no digital, ele destaca o papel das pessoas nas empresas. Segundo ele, se você contratar um profissional medíocre, você terá uma trabalho medíocre. Já, se a escolha for alguém brilhante, certamente vai dar certo.

Durante sua passagem pela Alpargatas, dona das marcas Havaianas, Osklen e Mizuno onde esteve por 15 anos, Marcio disse que desenvolveu uma espécie de ‘triângulo de pessoas”, para tratar justamente do tema pessoas dentro da empresa. Ele explica que esse triângulo era dividido em utilidade, poder e romance, onde o grande foco era entender a verdadeira utilidade das pessoas dentro da empresa, o poder que a elas era atribuído e a paixão que movia aquele profissional. “Dos três elementos o romance, pra mim, é o mais importante. Criar ‘romance’ da equipe com a organização ao proporcionar condições para trabalhar, alocá-las em projetos estimulantes e dar chance para que se destaquem é fundamental, disse.

O executivo falou ainda que a estratégia para lidar com o momento atual deveria ser pragmática em todas as suas vertentes, mas tendo caixa como motor e foco. “Analisar o setor de atuação para entender os drivers que expandem os negócios deve permitir o entendimento do que a empresa poderia fazer melhor para ser uma essencial”, e completou dizendo que “hoje, o nosso principal dever é não morrer”, ao fazer um comparativo em não deixar a empresa quebrar.

* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui