7 insights sobre omnichannel promovidos pela Riachuelo, Vivo e Boali

2037
7 insights sobre omnichannel aplicados pela Riachuelo, Vivo e Boali
[tempo para leitura: 2 minutos]

Desde o início da pandemia causada pelo novo coronavírus a Mercado & Consumo tem promovido uma série de webinars gratuitos em parceria com a Gouvêa de Souza, na manhã desta sexta-feira (5), o tema foi o futuro do omnichannel.

O encontro virtural reuniu Demetrio Teodorov, head de P&D Tech e Inovação da Riachuelo; Erik Nakandarake, head of Sales, Internet of Things & Big Data da Vivo (Telefônica Brasil) e Rodrigo Barros, CEO da Boali, que trouxeram diversas práticas adotadas em suas empresas e ainda algumas previsões sobre o assunto. Confira a seguir sete insights durante a live:

1 – A ominicanalidade não é mais só uma opção adicional de conforto para o consumidor, hoje a questão do omini é sobrevivência e obrigatoriedade. Do RFID para controle de estoque as tecnologias de voz como novo comportamento de compra, e tantas outras inovações que hoje fazem parte de nosso cotidiano;

2 – Muitos acreditam que o Omini é basicamente iniciar um e-commerce, muito pelo contrário, antes de ter um e-commerce estabelecido é preciso fortalecer outras alternativas também de canais físicos, como micro lojas em complexos industriais, Ominibox (operada pelo franqueado) e pontos de auto atendimento… sempre integrando digital e físico;

3 – O intrable (exemplo: chip colocado no corpo) ainda gera um sentimento de mal estar, mas se pensarmos bem já usamos óculos, marca-passo e outros recursos físicos em nosso corpo. Inovar também é uma questão de melhor usar as ferramentas que você tem disponível hoje;

4 – Pensando em Touchless, estamos explorando ferramentas de realidade aumentada e virtual via aplicativo, para informação de produto reduzindo a necessidade de perguntas a vendedores, para assim garantir a segurança de nosso consumidor, além do comando de voz em lojas na Alexa (assistente virtual);

5 – Neste momento um dos principais serviços oferecidos pela Vivo para os varejistas é o entender as novas personas, o entendimento dos hábitos de consumo do novo consumidor e de movimentação, por exemplo, (sempre de forma anonimizada e respeitando as regras do LGPD);

6 – O IoT traz para o varejo, baseado em nosso aprendizado na Espanha (Movistar), novos projetos para garantia de protocolos de proteção (controle de estoque de álcool gel), câmeras de imagem térmica (para medição de temperatura de consumidores), controle do número de pessoas na loja… Isso já é uma realidade na Europa;

7 – Hoje o acesso à internet não é generalizado, porém deve aumentar, visto que as próprias marcas vão expandir o acesso à internet a população, muitos já oferecem este serviço como valor agregado das marcas aos seus consumidores;

Os três executivos deixaram ainda algumas dicas durante sua participação:

1 – Perder o preconceito e trazer o futuro para o presente. Não apenas a aceleração, transformação digital que não é mais uma tendência, é uma realidade, Mas sim a sustentação digital;

2 – Ominicanalidade é muito mais que iniciar um e-commerce, mas sim uma estratégia combinada de canais físico e digitais, com utilização de ferramentas como Iot, micro-marketing, auto-atendimento, comandos de voz, Big Data, etc.

* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui