Estudo revela que consumidores do Sul são os mais pontuais no cartão de crédito

1121
[tempo para leitura: 3 minutos]

Um levantamento inédito da Serasa Experian feito com base nas informações do Cadastro Positivo revela que os consumidores da região Sul do Brasil são os que mais pagam suas faturas de cartão de crédito em dia. De acordo com a pesquisa, os Estados de Santa Catarina (88,8%), Rio Grande do Sul (88,6%) e Paraná (88,3%) são os mais bem colocados no ranking de pagamento da fatura até a data de vencimento. A lista é seguida por Minas Gerais (87,8%) e São Paulo (87,2%). Já os Estados do Amapá (81,5%), Maranhão (81,6%) e Amazonas (81,7%) obtiveram o índice mais baixo de pontualidade no cartão. Para o pagamento em dia é considerado tanto a quitação integral da fatura quanto valores intermediários ou o pagamento mínimo.

De modo geral, 86,7% dos brasileiros que estão inscritos no Cadastro Positivo e que pagaram sua última fatura (seja o valor total ou ao menos parte), o fizeram até a data de vencimento, enquanto 13,3% realizaram o pagamento com atrasos. A pesquisa revela que 3,6% das pessoas pagaram apenas o valor mínimo, sobretudo consumidores com renda de até R$ 1 mil (6,4%), moradores da região Norte (6,6%) e acima dos 60 anos (11,3%).

“Para ter uma vida financeira saudável e organizada, é importante que o consumidor tenha consciência sobre a pontualidade de seus pagamentos, pois isso influencia a sua pontuação de crédito, conhecido como score e, consequentemente, as suas chances de obter crédito, como financiamentos e empréstimos, por exemplo”, analisa o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi.

Rabi ainda esclarece que um bom histórico de pagamento tende a facilitar negociações com credores em momentos de dificuldade. “Consumidores que possuem um bom histórico de pontualidade em seus pagamentos podem encontrar mais facilidades para renegociar dívidas ou mesmo buscar crédito em momentos instáveis como o atual. Quem não conseguir manter todas as contas em dia pode procurar o credor para explicar a situação e tentar uma renegociação justa para ambos os lados”, orienta Rabi.

50% dos brasileiros que estão no Cadastro Positivo têm mais de dois cartões

A pesquisa revela ainda que a renda é outro fator que influencia na pontualidade do pagamento. Indivíduos com renda mensal acima de R$ 10 mil possuem 93,5% de pontualidade nas compras realizadas no cartão de crédito. Índice próximo (91,4%) visto entre os que ganham de R$ 5 mil a R$ 10 mil por mês. Nas faixas intermediárias (renda de R$ 1 mil até R$ 2 mil e de R$ 2 mil até R$ 5 mil), a taxa de pontualidade é de 84,6% e 87,6%, respectivamente. O índice mais baixo fica com os brasileiros que ganham até R$ 1 mil (82,5%).

Outra constatação é que vem se tornando comum a posse de vários cartões de crédito. Metade (50,0%) dos brasileiros usa dois ou mais cartões, sendo que 9,6% deles estão na faixa de quatro ou mais. Já os outros 50,0% lidam apenas com um na hora de fazer compras.

Gráfico 1

Brasileiro gasta, em média, R$ 1.125 no cartão de crédito

De acordo com o estudo, a média de gastos com cartão de crédito no país é de R$ 1.125. Este valor cai praticamente pela metade entre a população jovem de 18 a 25 anos (R$ 581) e atinge o valor mais elevado entre os adultos de 36 a 60 anos (R$ 1.263)

Na visão por UF com maior gasto médio, o Distrito Federal aparece na liderança: R$ 1.667. Em seguida estão Roraima (R$ 1.640), Amapá (R$ 1.431) e Mato Grosso (R$ 1.316). Já os gastos mais baixos estão, em sua maioria, concentrados no Nordeste, com liderança do Maranhão (R$ 868), Piauí (R$ 880) e Sergipe (R$ 893).

Brasileiros de baixa renda comprometem 60,7% da renda com gastos no cartão

O levantamento também descobriu que os consumidores de mais baixa renda são os que mais comprometem parte do salário com pagamentos no cartão de crédito. Entre os consumidores que ganham até R$ 1 mil por mês, o gasto médio com cartão ficou em R$ 524,00 no último mês de abril. Isso significa que 60,7% da renda destes brasileiros foi usada para cobrir as despesas feitas no chamado ‘dinheiro de plástico’, percentual acima da média geral (29,2%).

O índice de comprometimento de renda com os gastos no cartão de crédito diminui conforme cresce o poder de compra do consumidor. Dentro da faixa de R$ 1 mil a R$ 2 mil, a taxa fica em 48,4%, também acima do resultado geral. O menor comprometimento (14,2%) pode ser verificado na faixa acima de R$ 10 mil. Veja na tabela abaixo as informações de todas as faixas.

* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui