Estreia no Nordeste: Bahia terá o primeiro centro de distribuição do Mercado Livre

1807
Até então, o Mercado Livre tinha dois centros de distribuição, em Cajamar e Louveira, em São Paulo. O novo CD se enquadra no processo de expansão
[tempo para leitura: 2 minutos]

O Mercado Livre vai abrir na Bahia seu primeiro centro de distribuição fora de São Paulo e o terceiro no Brasil. O novo espaço ficará localizado na cidade de Lauro de Freitas, a 26 quilômetros de Salvador. O CD faz parte de um plano de investimento de 4 bilhões de reais que a empresa pretende fazer no Brasil até o fim de 2020.

Até então, o Mercado Livre tinha dois centros de distribuição, em Cajamar e Louveira, em São Paulo. O novo CD se enquadra no processo de expansão da capacidade logística da varejista, que nos últimos dois anos vêm aumentando a taxa de produtos que saem de seus próprios centros de distribuição.

O centro terá 35.000 metros quadrados, com possibilidade de expansão, e capacidade para atender mais de 100.000 clientes por dia. Neste começo, serão 50 funcionários no espaço, podendo chegar a 500 pessoas no auge da capacidade.

Juntamente com o CD, a empresa fará um programa social para educação de 120 jovens da região de Lauro de Freitas, assim como já faz em outros lugares da América Latina, e alguns serão contratados ao final do projeto.

Atualmente, pouco mais de 50% do que é vendido pelo Mercado Livre é entregue com logística própria. O objetivo é continuar aumentando esta taxa, segundo informou o novo vice-presidente sênior no Brasil, Fernando Yunes, que chegou ao Mercado Livre em maio após mais de dois anos no Sem Parar, de pagamentos por radiofrequência.

Os centros de distribuição são usados para oferecer serviços de logística e entrega aos mais de 11 milhões de vendedores da plataforma do Mercado Livre. Atualmente, mais de 70% dos pedidos que contam com o serviço logístico da empresa já são entregues em até dois dias. Há um ano, a taxa era de 55%. “A ampliação da malha logística é essencial para continuarmos melhorando esse prazo”, diz Yunes.

Além dos centros de distribuição, a empresa planeja terminar o ano com 2.500 pontos avançados de distribuição, espaços menores em que os vendedores parceiros podem depositar a mercadoria para ser entregue pelo serviço próprio do Mercado Livre (chamados de pontos de drop-off, no termo em inglês). O objetivo é melhorar a capacidade logística em outras regiões do Brasil.

Com informações do portlal Exame.
* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui