“A tendência e a necessidade da ominicanalidade antecedem a Covid-19”, afirma diretora executiva de Marketing da Alpargatas

1366
Fernanda Romano
[tempo para leitura: 2 minutos]

Com o avanço da pandemia por causa do coronavírus pelo Brasil, grande parte das empresas precisaram se reinventar e acelerar alguns planos que estavam previstos para o futuro. Na Alpargatas, multinacional brasileira que detém marcas como Havaianas e Osklen, não foi diferente. Em webinar promovido pela Mercado & Consumo nesta sexta-feira (26), Fernanda Romano, diretora executiva de Marketing da Alpargatas compartilhou algumas ações que a gigante vem colocando em prática.

Ao lado da executiva participaram do debate, que teve como tema sobre inovação e reinvenção do varejo de moda, Florence Scappini, diretora de Marketing e Perfomance de Canais Digitais da Netshoes; Andréa Sanches, diretora de Marketing da Marisa e Sandro Bertotti, executivo de Transformação Digital.

Segundo Fefa, como é carinhosa conhecida, a crise serviu para como oportunidade para trazer de volta ao portoflio da Havaianas um item que que já esteve presente no “cardápio”. Com a quarentena e muitas pessoas em casa, a tendência é que roupas e calçados mais confortáveis sejam a opção da maioria, por isso marca lançou sua coleção de meias de dedo com diversos itens bem coloridos. A novidade traz uma separação do polegar para os demais dedos dos pés, desta forma, a tarefa de vestir uma sandália fica muito mais fácil. A executiva contou que a assinatura da marca reforça a ideia de trazer algo com muitas cores e informações.

Fernanda comentou ainda sobre a necessidade em apostar mais em campanhas focadas no público masculino, uma vez que o estigma do homem com chinelo remeter a algo “desarrumado” é muito forte. “A mulher combina mais as sandálias e sabe compor o item com outras peças, já os homens nem tanto. Por isso nosso objetivo é mostrar que eles podem estar bem vestidos usando um chinelo”, explicou.

Perguntada sobre o futuro do varejo físico, Fefa disse não saber prever os próximos passos agora. Ela contou que a experiência da marca em outros países tem ajudado muito a nortear as medidas que estão sendo tomadas no Brasil. “Como estamos presentes em quase todos os continentes facilita muito. Claro que a realidade é diferente, mas conseguimos nos apoiar nas boas práticas aplicadas em outros mercados e adapta-las ao nosso cenário”, explicou.

Ainda sobre o tema, Fernanda disse que a Alpargatas está observando dois pontos sobre as lojas físicas. Um deles é a omnicanalidade que, segundo ela, antecede a Covid-19. Ela conta que a pandemia anabolizou e antecipou alguns processos que levariam mais tempo que o previsto para serem aplicados em muitas empresas. “Nosso papel é ajustar e preparar nossa equipe de varejo e ensinar o usuário final a estarem inseridos neste novo momento do setor” e completou alertando sobre estar presente e próximo do consumidor com a segurança necessária vinda da marca. Ela conta que o brasileiro é muito São Tomé e que só acredita vendo. “Tangibilizar os valores da marca também acontece no varejo físico”, disse.

Sobre reinvenção e inovação no mercado de moda, Fernanda Romano apontou a empatia como palavra de ordem para o momento. Ela contou que os atores principais dessa conversa atual que o mundo está tendo são seres humanos e ainda disse que o mundo não está sofrendo um upgrade de sistema, mas sim uma mudança de sistema.

Este webinar contou com a mediação de Luiz Alberto Marinho, sócio-diretor da GS&Malls e Beth Furtado, CSO da GS&MD Conteúdo e Relacionamento e teve patrocínio da ACI Universal Payments, empresa com solução única e universal que oferece pagamentos em tempo real corporativos e de varejo.

* Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui